-- particles

E-mail marketing: 4 erros comuns que devem ser evitados!

O e-mail marketing é uma das estratégias mais praticadas e efetivas do marketing digital. Isso porque ele estabelece um contato mais próximo com o público, sendo o canal ideal para fazer marketing de relacionamento e marketing direto, o que permite atingir objetivos variados, como promover conteúdos, eventos e ofertas. Contudo, muitos gestores não sabem por onde começar ou não dão o devido valor a essa tática.

Sabendo da importância dessa estratégia, passar a adotá-la nas suas estratégias de marketing digital já não parece ser uma má ideia, certo? Então, para construir uma campanha impecável de e-mail marketing, vamos lembrá-lo dos 4 erros mais comuns. Você conhecerá os impactos que causam às suas métricas e como evitá-los. Acompanhe!

1. Comprar a lista

O primeiro item diz muito a respeito da forma como você prospecta novas leads. O e-mail marketing só é capaz de atingir os 3.800% de ROI porque é uma estratégia assertiva, ou seja, é baseada em diálogos autorizados pelos contatos.

A compra de lista vai exatamente na contramão desse caminho: os donos daqueles e-mails comprados não deram permissão para receber seus disparos. Essa é uma atitude antiética, prejudica a percepção sobre a empresa e pode até resultar em processo.

O interessante é captar novos contatos por meio da assinatura de newsletters e da oferta de materiais ricos (e-books, whitepapers e webinars) em landing pages.

2. Não segmentar os envios

Esse erro já tem muito a ver com o relacionamento com os contatos. Por ser uma ferramenta mais íntima e direta que as redes sociais, é de se esperar que os usuários queiram receber somente aquilo que os interessa. Além disso, também há o fato de que nem todas as pessoas em sua lista têm o mesmo perfil e as mesmas preferências.

Isso leva a necessidade para criação de diferentes grupos e segmentos dentro da sua lista. Tanto um software de CRM quanto uma agência especializada podem ajudar a filtrar as informações sobre os seus contatos, personalizar o envio e tratar as leads da forma como esperam.

3. Não nutrir as suas leads

Mais um equívoco ligado ao relacionamento. Para manter uma boa conexão com seus contatos, é importante abastecê-los com conteúdos relevantes. Essa prática de nutrição é a ponte entre uma lead que acabou de demonstrar interesse e uma possível negociação ou compra. Portanto, cada mensagem enviada deve induzir o contato para um estágio mais avançado no funil de vendas.

Deixar de nutrir suas leads faz com que a campanha reduza drasticamente as chances de converter a oferta. Para resolver esse problema, basta montar diferentes fluxos de nutrição, ligando os estágios do funil, a segmentação das leads, os materiais baixados e o produto/serviço final.

4. Não contratar uma empresa especializada

Para as empresas que desconhecem os processos que envolvem o e-mail marketing, como a nutrição de leads, é fundamental a contratação de uma agência especializada. Não se trata de um gasto, apesar de baixo, mas um investimento que visa valorizar cada real aplicado em uma campanha para gerar mais oportunidades de negócio.

A contratação de uma empresa especializada é relevante para montar listas assertivas, criar campanhas segmentadas e fluxos de nutrição, monitorar a efetividade dos envios, realizar testes, otimizar o tempo de trabalho e impulsionar os resultados projetados.

O ponto crucial para evitar que essas falhas aconteçam é o planejamento. O plano precisa ser bem estruturado e pensado, pois coloca em jogo a imagem da empresa, o relacionamento com o público e os investimentos de tempo e de dinheiro.

Diante disso, é de suma importância contar com o apoio de uma empresa especializada, como a Fênix, que possui os profissionais e os recursos necessários para fazer seu e-mail marketing vender mais.

Ao eliminar os erros listados no texto, qualquer campanha de e-mail marketing terá mais chances de atingir os resultados esperados. Se você gostou das nossas dicas, compartilhe-as em suas redes sociais!

Mais conteúdos interessantes para você.